sábado, 1 de novembro de 2008

Nosso corpo após a morte


Embora pareça mórbido, o estudo dos eventos que sucedem a morte é extremamente interessante, sobretudo para que sejam definidos alguns aspectos interessantes, como causa e hora da morte em homicídios. O site Socyberty escreveu um artigo originalmente em inglês, que ilustra os 27 acontecimentos corporais após a morte e o MDig traduziu.

Só para informar, apesar de não conter nenhum elemento com teor "banalizadamente apelativo", algumas pessoas podem não sentir-se à vontade em lê-lo.


No instante da morte:

1. O coração pára.
2. A pele fica rígida e adquire uma cor acinzentada.
3. Todos os músculos se relaxam.
4. A bexiga e intestinos de esvaziam.
5. A temperatura corporal cai normalmente 0,83ºC por hora a não ser que tenha fatores externos que o impeça. O fígado é o órgão que se mantém quente durante mais tempo, pelo qual se costuma medir sua temperatura para estabelecer o momento da morte.


Aos 30 minutos:

6. A pele fica meio púrpura e com aspecto ceroso.
7. Os lábios, e as unhas dos dedos empalidecem pela ausência de sangue.
8. O sangue estagna nas partes baixas do corpo, formando uma mancha de cor púrpura escura que é chamada de lividez.
9. As mãos e os pés ficam azulados.
10. Os olhos começam a afundar para o interior do crânio.


Às 4 horas:

11. Começa a aparecer o rigor mortis.
12. O enrijecimento da pele e o estancamento do sangue contínuo.
13. O rigor mortis começa a esticar os músculos durante umas 24 horas, depois das quais o corpo recuperará seu estado relaxado.


Às 12 horas:

14. O corpo está em estado de rigor mortis total.


Às 24 horas:

15. Somente agora o corpo adquire a temperatura do ambiente que lhe rodeia.
16. Nos homens, morrem os espermatozóides.
17. A cabeça e o pescoço adquirem uma cor verde-azulado.
18. Esta mesma cor começa a estender-se ao resto do corpo.
19. Neste momento começa o forte cheiro de carne podre.
20. O rosto da pessoa fica essencialmente irreconhecível.


Aos 3 dias:

21. Os gases dos tecidos corporais formam grandes bolhas debaixo da pele.
22. A totalidade do corpo começa a inchar e crescer de forma grotesca. Este processo pode acelerar se a vítima encontra-se num ambiente cálido ou na água.
23. Os fluídos começam a gotejar por todos os orifícios corporais.


Às 3 semanas:

24. A pele, cabelo e unhas estão tão soltas que podem ser retiradas com facilidade.
25. A pele se racha e arrebenta em múltiplas zonas por causa da pressão dos gases internos.
26. A decomposição continuará até que não fique nada exceto os ossos, o qual pode demorar em torno de um mês em climas quentes e dois meses em climas frios.
27. Os dentes são com freqüência o único que fica anos ou séculos depois, já que o esmalte dental é a substância corporal mais dura que existe. A mandíbula é assim mesmo a mais densa, pelo que geralmente também perdura.

Estabelecer a hora da morte em um homicidio é uma das tarefas mais importantes para resolver casos particularmente, em que o assassino ainda é desconhecido. As evidências colhidas na cena do crime, testemunhas e o estado do corpo podem ajudar a determinar a hora exata do crime.

3 comentários:

laura disse...

Muito interressante ...
e estranho...
o_ô

Beto disse...

Bom.Porém falta mencionar de maneira mais clara o tempo médio para que o cadáver deixe o estado corporal rígido. Acredito que seja após 12hs do falecimento (morte).

Anônimo disse...

muito legal não sabia disso não